domingo, junho 24, 2007

Chocolate power para as modelos do Brasil

Padaria é programinha de manhã de sábado, bem quando percebemos que o pão acabou ontem à noite e seria ótimo comer um sanduba bem light pra calar a boca do estômago até o almoço, que graças ás férias, sempre acontece mais tarde.

Pois bem, padaria: bermuda, blusa ''no estress'' e chinelo, sim, chinelo. Ignorando o quase atropelamento no final da ladeira, a ida à padaria é monótona, claro, amanhã é São João (no caso, hoje!) e todo mundo (ressaltando: todo mundo menos eu!) vai pro interior dançar forró, só de pensar que eu podia estar lá me divertindo... Pensando bem, eu nao gosto de forró, nem de multidão, então cala-te boca e segue em frente à padaria.

- Moço, 3 reais do francês. - falo num tom meio blasé, aliás, todo mundo fala num tom meio blasé, até as empregadas que estavam na fila usavam tal tom.

Vem aquele saco marrom cheio de pãosinho quente e o bendito ''hômi'' conseguiu botar R$3,03 aí penso, se eu não vou usar 3 reais e sim mais, e a essa hora a moça do balcão não vai me dar um real e noventa e sete centavos né, seria até maldade pedir isso, vejam como eu tenho uma alma boa, podia estar agora quebrando a cabeça da irmã cristã alí do caixa, mas não estou facilitando a vida dela. Santa.

E quem paga R$3,03 paga logo R$5,oo... Além do mais, isso é um investimento, siiimm... Estou investindo em uma barrinha de chocolate ''rica em fibras e sais minerais, muito mais power''! Lá está Ciça serelepe e saltitando com seu saco de pães e uma barrinha de chocolate quando O Todo Poderoso resolve pesar minha consciencia. Entra na bendita padaria do bairro, tão amada pelos motoristas de táxi, empregadas, o cara gatinho que estudou lá no colégio e eu, mesmo com esses assíduos frequentadores, cá que entra uma modelete de 1,80 loira com unha maior que a saia e uma escada de sapato, sim, tinha uma mulher ali.

Relembrando que nessa hora da manhã soteropolitana, naquele exato estabelecimento eu era a fêmea- alfa. Droga, pensei, com ela eu não posso competir, vaca... Fico na fila, querendo ir logo embora, meu orgulho já tinha sido ferido, o máximo que podia fazer era sair com classe. Respiro, olho a irmã cristã passando as compras da outra irmã cristã de jeito blasé e roupa cheirando a cebola e um perfume doce, mas tão doce que não podia ser dela, isso é cheiro de perua, olho pra trás - de perua!!!!

- o quê? - falou a perua.

- Perdão?

- o que você acabou de falar?

- Falei perdão e antes disso nada... - tá, mentira, eu soltei um ''de perua" olhando pra cara dela, com nojo, mas isso é totalmente irrelevante. Totalmente. - Estava só pensando!

Ela simplesmente murmura alguma coisa provavelmente burra. Ok querida, quer que eu fale mesmo ou prefere seguir seu dia achando que todos te amam? Hunf, pensei! Irmã cristã começa a passar minhas coisas, niqui vejo ao meu lado, um olhar de cobiça penetra meu chocolate, sai coisa ruim, pensei, tá dando más energias pro meu chocolate/investimento!

- Essa minha vida é tão chata, queria poder comer chocolate, só posso comer essas barrinhas horríveis... - Sim, ela a vaca/pecadora/más energias/1,80/loira resolveu às, precisas, 10h27min contar da horrível vida que leva sem chocolate: sorry benhê, só pra quem pode!

Niqui vejo de novo, outra visão bem cristã é ninguém mais ninguém menos que a irmão cristã do caixa, parando de contar as moedinhas do meu troco, pra dar um pouco de atenção à quem precisa. Sinto-me traída, claro, além de perder o posto de fêmea-alfa dos taxistas ainda perco o posto de garota-simpática das mulheres, que que é isso meu Brasil? Ok, não perca a postura, não arranque as moedinhas da mão dela, não perca a calma. Olho praquela moça dobro do meu tamanho, mais fina que eu reclamando por nao poder comer um mísero chocolatinho cheio de nutrientes e sais mineiras, OU SEJA, MAIS POWER NA SUA VIDA.

- Olha, com esse seu corpo, um mísero chocolate não vai fazer estrago algum, então não precisa fazer tanto drama né? - eu sei eu sei, não foi uma atitude cristã, foi puro veneno, fez a irmã cristã me dar um olhar de total repreensão e cosegui afetar a beesha. "preciso sair daqui'' fico pensando, dane-se o troco, fui!

Sim, eu tropecei naquele pequenino vão que tem na entrada e sim, eu saí sem classe, mas eu tinha o chocolate. há, eu tinha o chocolate...

moral da história: sempre veja o lado bom das coisas!

4 comentários:

Nani e Ciça disse...

ele nao quer ficar na pagina inicial, cretino!

Letícia disse...

Muito bom! :)
E como eu tbm não sou nenhuma modelo..me dêem meu chocolateeee!!

Bjos,
Le.

bena disse...

rpz... isso aqui está às moscas postem alguma coisa, afinal de contas essa é a coluna feminina mais pedida do Brasil!
bjs

a mosca disse...

falou comigo?